Brinquedos de construir: um estímulo ao olhar investigativo.

brinquedos de construir Blocos de empilhar blog infantil

Os brinquedos de construir desempenham um papel fundamental no processo de desenvolvimento infantil uma vez que ampliam a experiência sensorial, estimulam a criatividade e favorecem o desenvolvimento de habilidades na criança. Conheça aqui um pouco mais sobre o universo das brincadeiras de construção e seus benefícios.
Podemos dizer que há diversas categorias de brinquedos de construir e que eles estão presentes na Infância desde muito cedo. É comum ver crianças pequenas já brincando de encaixar e também de empilhar peças. À medida que a criança vai crescendo e, em função do desenvolvimento de suas capacidades e habilidades, vão tornando-se mais complexas as tarefas.

No período da primeira infância, compreendido entre 0 e 2 anos, os brinquedos de construir concentram sua função na experiência sensorial, no desenvolvimento da motricidade, da organização espaço-temporal e do movimento. É também o momento das descobertas, que promovem o despertar intelectual mobilizando as capacidades de observação, escuta e manipulação, estimulando a atenção, memória e criatividade, além de favorecer novas aprendizagens a partir da imitação e também da repetição.

Na etapa chamada pré-escolar, entre os 3 e 6 anos, as crianças já estão com suas capacidades mais desenvolvidas e dispõem de mais habilidades, assim novos desafios se colocam. Com a aquisição da linguagem, os brinquedos de construir vêm comumente acompanhados de narrativas de situações imaginárias e representativas da realidade. Nesse sentido a brincadeira de construção se aproxima do faz de conta, uma vez que se coloca à serviço do exercício de imaginação, através do qual a criança busca realizar algum desejo não satisfeito de imediato. Mas não somente, a brincadeira também se constitui como o espaço onde acontece o processo de elaboração da compreensão dos significados construídos por uma determinada cultura.

Seguem aqui algumas dicas de brinquedos de construir em razão da faixa etária.

De 0 a 2 anos

• Formas para empilhar;
• Formas para empilhar em base com eixo central;
• Caixas de encaixe de formas e cores;
• Quebra-cabeças para bebês;

De 3 a 6 anos

• Blocos simples de construção;
• Materiais para modelar e moldar;
• Quebra-cabeças entre 40 e 150 peças;
• Dobraduras;
• Brinquedos tipo maquetes e modelos técnicos;

À medida que a criança se aproxima e vai experimentando os brinquedos de construir, está sendo exposta a uma sorte de situações-problema, frente às quais precisará acionar seus conhecimentos e também sua criatividade em busca de soluções para os impasses com os quais se depara. Assim, a transição das construções bidimensionais para as tridimensionais coloca o sujeito da brincadeira em um outro patamar, já que essas construções submetem-se às leis da Física. Esse é um exercício muito enriquecedor e que, colocando a criança no papel de investigador, ao formular e testar hipóteses, traz o procedimento investigativo como forma de solução de problemas concretos, colocando em jogo conceitos como, forma, peso, equilíbrio etc.

Vivemos atualmente um momento bastante desafiador. Por um lado, sabemos muitas coisas a respeito dos processos de constituição do indivíduo e sua importância, mas por outro lado a lógica da produtividade, desconsiderando a natureza humana, busca agilizar todos os processos em nome da eficiência, nos levando a funcionar em um ritmo que não condiz com a dinâmica da aprendizagem. Além disso, a questão da falta de segurança nos grandes centros, juntamente com a diminuição no tamanho das famílias, em razão da queda na taxa de natalidade, faz com que a criança esteja cada vez mais solitária na vivência do dia-a-dia.

E é nesse cenário da vida contemporânea, onde o tempo passou a ser um bem escasso que, no intuito de darmos conta das mais diversas atribuições, realizando mais coisas, por vezes buscamos simplificar as situações cotidianas oferecendo cada vez mais coisas prontas, que entretenham as crianças por mais tempo, muitas vezes à custa de um brincar, que mediado pela presença de outras crianças e até mesmo de um adulto, poderiam cultivar a curiosidade e criar o gosto por um olhar investigativo. Contudo, não podemos nos esquecer que as maiores aprendizagens e conquistas acontecem no decorrer de um processo, no qual a criança se vê instigada a conhecer mais, disposta e estimulada a questionar e a verificar suas hipóteses a fim de compreender o mundo que está a sua volta.

Portanto, mãos à obra! Vamos convidar cada vez mais as crianças a exercitar o seu olhar investigativo enquanto brincam.

Fernanda Hungerbuhler Blog InfantilAutora: Fernanda Hungerbuhler Barroso – Professora na Ed. Infantil, Pós-graduanda em Psicopedadgogia pela Puc/ SP e Pedagoga pelo Instituto Vera Cruz

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *