Saltos de desenvolvimento: saiba o que acontece em cada um deles no período entre 4 e 6 anos.

criança brincando de amarelinha blog infantil

O processo de desenvolvimento e crescimento caracteriza-se como um processo contínuo, através do qual novas funções e habilidades são adquiridas. No decorrer desse processo, a criança experimenta alguns saltos de desenvolvimento. Veja aqui um pouco mais sobre esse movimento e o que você pode fazer para estimulá-los.

De acordo com a teoria histórico-cultural, o desenvolvimento do ser humano ocorre dentro de um contexto social e, portanto, a partir das constantes interações com o meio em que ele está inserido. Nesse sentido, o processo de desenvolvimento das características psíquicas do indivíduo é sempre mediado pelo outro.

Assim, oferecer à criança um ambiente instigante, rico em estímulos adequados aos seus interesses, possibilidades e potencialidades, favorece a criação de uma zona de desenvolvimento potencial. Nesse contexto, a presença de outras crianças, com as quais as trocas possam ocorrer de uma maneira mais próxima, assim como de um adulto mediador, poderão promover uma ação entre o desenvolvimento real da criança e o desenvolvimento potencial, no qual o adulto ou mesmo um parceiro mais experiente medeia a solução de algum problema. Esse é o espaço onde ocorrerão os saltos de desenvolvimento.

As situações de jogos podem ser um exemplo. Duas crianças jogam um jogo de trilha com dois dados. João começa o jogo e, ao lançar os dados, sorteia os números 6 e 5. João inicia a contagem do primeiro dado e conta até 6, ao contar o segundo dado, recomeça a contagem a partir do 1. Então, Rodrigo, que está ao lado de João, refaz a contagem, e ao terminar de contar 6 no primeiro dado, inicia a contagem do segundo pelo 7, chegando ao resultado 11. Ao ver essa ação, na rodada seguinte, João ao fazer a contagem adota o mesmo procedimento de Rodrigo. A partir desse momento, podemos dizer que João começa a elaborar a ideia de soma.

OS ÂMBITOS E SEUS RESPECTIVOS SALTOS DE DESENVOLVIMENTO

A fim de compreender melhor e favorecer alguns desses saltos, podemos separar o processo de desenvolvimento em alguns âmbitos, apesar de serem indissociáveis, já que todos estão relacionados entre si.

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

Entre os 4 e os 6 anos de idade, a atividade psicológica da criança vai adquirindo complexidade. Apesar do pensamento, da linguagem e das formas de interação ainda possuírem uma característica egocêntrica, ou seja, de ainda estarem centrados nos próprios pontos de vista, já começa a ser possível perceber o outro e interpretar o mundo que está a sua volta, estabelecer relações, fazer comparações e até mesmo inferências. A linguagem vai se tornando mais conectada com o pensamento e com isso, também vai adquirindo maior coerência. Nessa etapa, tem início ainda a compreensão de algumas operações, como a soma, a multiplicação, a subtração e divisão.

Assim, se você quiser estimular essas potencialidades invista em situações que proporcionem:

  • Vivenciar momentos em que seja possível dialogar sobre experiências iguais mas que foram vividas sob diferentes pontos de vista;
  • Mediar conflitos entre crianças, garantindo que cada uma exponha seu ponto de vista do problema, e confrontando as diferentes percepções;
  • Promover situações de jogos em que aconteça a recitação da sequência numérica, em que haja o uso dos dados, que seja possível comparar números, além dos jogos com regras.

DESENVOLVIMENTO MOTOR

Ainda no período dos 4 aos 6 anos, algumas habilidades motoras serão aperfeiçoadas, tais como saltar, lançar, pular em um pé só, escalar, pedalar entre outras. Também ocorre o refinamento da coordenação motora fina.

Desse modo, algumas propostas poderão incrementar essas habilidades, tais como:

  • Desenhar;
  • Desenvolver atividades que envolvam recortes e alinhavos;
  • Amarrar cadarços;
  • Pular amarelinha;
  • Saltar obstáculos.

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E AFETIVO

A moralidade nessa faixa etária ainda está em desenvolvimento. Sendo assim, o comportamento moral que se inicia como um fruto do hábito passa a ser um mandamento externo e de obediência, apesar dos constantes questionamentos. É também nesse momento, que as crianças passam da prática de rotular outras coisas e pessoas de menino e menina à ter clareza sobre algumas características femininas e masculinas. Ainda nesse período, os órgãos genitais se evidenciam, despertando muitas curiosidades e experimentações que se bem encaminhadas irão possibilitar o desenvolvimento emocional saudável da criança. É ainda o momento da descoberta da morte.

Para impulsionar esses aspectos do desenvolvimento, você poderá:

  • Propiciar contextos de brincadeiras de faz-de-conta, através das quais a criança se apropria do mundo adulto e suas regras, desempenhando outros papéis;
  • Garantir espaço para falar sobre as questões da sexualidade e da morte, quando essas forem trazidas;
  • Ler histórias que tratem de assuntos em evidência, tais como as diferenças de sexo, morte e outros assuntos que possam surgir como interesse da criança.

Apesar de ser um processo contínuo, o desenvolvimento infantil não é linear, e sim marcado por avanços e também por retrocessos, que podem dar indícios da necessidade de novos saltos e, portanto, novos encaminhamentos para outras vivências, que constituirão novas experiências e referências. Assim, a consistência da ação aparece como um atributo essencial na consolidação dos saltos do desenvolvimento.

 

Fernanda Hungerbuhler Blog InfantilAutora: Fernanda Hungerbuhler Barroso – Professora na Ed. Infantil, Pós-graduanda em Psicopedadgogia pela Puc/ SP e Pedagoga pelo Instituto Vera Cruz

4 respostas
    • Rosaria
      Rosaria diz:

      Obrigada Bianca pelo comentário. O proposito é oferecer recursos práticos para lidar com as diferentes situações da primeira infância.
      Uma boa tarde

      Responder
    • Rosaria
      Rosaria diz:

      Obrigada Marcela pelo comentário. O proposito é oferecer recursos práticos para lidar com as diferentes situações da primeira infância.
      Uma boa tarde

      Responder

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *